Reebok Freestyle – O Primeiro Tênis Desenvolvido Para As Mulheres

Calçar tênis é, muitas vezes, andar com história nos pés. Sabendo disso, resolvemos ir um pouco mais a fundo nas histórias de alguns modelos icônicos que têm uma parte muito importante na cultura sneakerhead.

E, como aqui no W o foco é nos pés femininos, a gente não poderia começar por outro modelo que não o Reebok Freestyle – o primeiro direcionado às mulheres.

Até a década de 1980 os tênis eram todos desenhados para homens e, às vezes, as grades vinham estendidas para os pés menores. Com a força dos exercícios aeróbicos que eram febre na época, a Reebok revolucionou o mercado lançando, em 1982, o primeiro modelo de tênis desenvolvido especialmente para as mulheres – e para a prática destes exercícios.

O Reebok Freestyle, como foi batizado, tornou-se responsável por metade das vendas da Reebok no ano seguinte. Em 1984, representou US$66 milhões em faturamento para a empresa. E essa história começou pelas mãos de um representante de vendas!

Angel Martinez, no início da década, estava vendo suas vendas de Reebok caírem, junto com o interesse pela corrida. Um dia foi assistir a aula de aeróbica da esposa e percebeu que a atividade, praticada quase sempre sem o uso de nenhum sapato, por vezes causava dores nos pés e nas pernas das adeptas. Ele percebeu aí uma oportunidade. Oferecer um calçado específico para este exercício.

Jane Fonda, a musa da aeróbica nos anos 80

Na sua primeira apresentação da ideia para Paul Fireman, da Reebok, foi rejeitado – ele nunca ouvira falar em aeróbica. Mas Martinez insistiu, criou um protótipo, levou para instrutoras de aeróbica testarem seu modelo e a ideia foi muito bem aceita no meio. Depois de continuar insistindo, Fireman aprovou a sugestão do representante de vendas e o Reebok Freestyle chegou às prateleiras em 1982.

Não demorou para que o modelo, lançado inicialmente em sua versão Lo e em poucas cores, ganhasse muito espaço, não apenas na prática dos exercícios aeróbicos mas também para uso no dia a dia. O cabedal era construído em um couro macio e seu interior era atoalhado, garantindo muito conforto.

Anúncio do Reebok Freesyle Lo em suas primeiras cores

Sua versão mais icônica, o Freestyle Hi, só apareceu no meio da década. Ela vinha com cano alto e dois velcros no tornozelo, e havia um grande esforço publicitário para o modelo, que passou a ser visto em uma grande variedade de colorways.

Foram muitas as celebridades que ajudaram a fama do Freestyle. Jane Fonda, Paula Abdul, Cybill Shepherd – que usou um exemplar laranja em um tapete vermelho em 1985 -, e até mesmo Punky, a levada da breca, que aparecia usando um pé de cada cor. Isso sem mencionar Jennifer Parker, a namorada de Marty McFly em “De Volta para o Futuro”.

Paula Abdul

Ao longo dos anos, o Reebok Freestyle continuou sendo vendido e relançado, em uma série de variações e em muitas colaborações. Ele também passou a ser fabricado nas mais diversas numerações, atendendo aos públicos masculino e infantil, mas nunca deixou de ser um marco para as mulheres.

Faz pouco tempo que a Reebok lançou uma série de Podcasts chamada Flipping the Game. Nós até falamos dela por aqui. Lá, além da história do Freestyle e da importância do modelo para a cultura sneaker, também se fala bastante sobre o papel da mulher neste cenário. Se você entende inglês, vale muito a pena escutar os três episódios disponíveis!

 

Fontes: wiki,TimeSneaker FilesSneaker Freaker